SportLife

Exercício e Saúde

Rodrigo Ruivo

Director Técnico da Clínica das Conchas, diplomado pelo American College of Sports Medicine, docente no curso de Educação Física e Desporto do ISCE.

Coloca a tua questão ou dúvida: Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar

 

Bruno Espadeiro

Treino Personalizado

Coloca a tua questão ou dúvida: Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar

 

Quinta, 09 Março 2017 14:19

Corrige o agachamento

Publicado em Exercício e Saúde Escrito por Rodrigo Ruivo

dica rodrigoQue o agachamento é um ótimo exercício de reforço muscular ninguém tem dúvidas. Simultaneamente é também utilizado como ferramenta de avaliação.


Quando um sujeito ao agachar-se os joelhos vão para dentro, vulgo joelho valgum, percebemos que, provavelmente, os músculos adutores, entre outros, se encontram curtos e sobre-solicitados e, em contrapartida, o glúteo máximo e médio encontram-se inibidos (Clark & Lucett, 2011).


Neste âmbito, não se percebe porque ainda se vê a proposta de exercício corretivo para joelho valgum, que consiste em agachar com uma bola entre as pernas para manter alinhamento dos joelhos. Nesta variante os músculos que vão ser ainda mais ativados são os músculos que menos necessitam, os adutores! Será o mesmo do que ter o bicípite braquial muito forte em comparação ao tricípite e para equilibrar os 2 sugerir exercício de flexão do cotovelo!


Sugiro, por exemplo, que ao realizar-se agachamento se utilize(m) uma(s) banda(s) externamente à coxa e se peça a manutenção do alinhamento dos joelhos durante toda a execução. Desta forma terá maior ativação muscular do grande e médio glúteo.

Domingo, 12 Fevereiro 2017 23:44

Perde-se gordura com o treino de força?

Publicado em Exercício e Saúde Escrito por Rodrigo Ruivo

Lunges-800x450Uma das vantagens da realização do treino de força prende-se com o fato de permitir manter ou aumentar massa muscular e consequentemente a taxa metabólica de repouso* (Dolezal e col. (2000)).  Dolezal (2000) num estudo realizado com adultos do sexo masculino verificou que a taxa metabólica de repouso (TMR) se mantinha elevada relativamente a valores basais durante o pós-exercício até 48 horas após um treino de força realizado (8*6 RM no leg press (Figura 1)) com ênfase excêntrica (40X0)). E mais, ao comparar TMR pós-treino num grupo de indivíduos treinados e não treinados, sujeitos ao mesmo protocolo de treino, verificou que o número de calorias gastas em repouso, nas horas seguintes era superior no grupo menos condicionado fisicamente (Figura 2). Tal resultado dever-se-á ao fato de terem ocorrido mais micro-lesões musculares no grupo menos condicionado. Resumindo, o treino de força aumenta a TMR até 48 horas após o exercício, e este aumento da TMR será superior se ocorrerem mais “micro-lesões” musculares decorrentes do treino.


Rodrigo Ruivo


*A taxa metabólica de repouso está associada ao número de calorias gastas em repouso.

Sábado, 03 Dezembro 2016 17:37

Variantes de exercícios (pouco) funcionais

Publicado em Exercício e Saúde Escrito por Rodrigo Ruivo

leg press lado maquinaAo longo do tempo, na procura do melhor estímulo de treino, muitos exercícios têm sofrido alterações. No entanto, muitas destas variações têm-se revelado pouco eficazes e lesivas. Por exemplo, presencia-se, por vezes, a realização do exercício de prensa de pernas de lado para máquina.


Esta variante do exercício de leg press tem sido praticada com a finalidade de aumentar a intensidade do exercício, mas o resultado final é precisamente o contrário.


O apoio na máquina realizado pelo ombros ou cotovelos, e não pelas costas, não permite uma boa base de estabilidade e segurança. Para além deste facto, esta variante não acarreta um acréscimo de produção de força ou uma variação de estímulo uma vez que, no joelho e coxo-femoral, relativamente à posição original de realização do exercício (com costas totalmente apoiadas no banco), a origem e inserção muscular dos vários músculos intervenientes se mantêm inalteradas.


Acresce o risco de nesta variante “de lado” existir uma tendência grande para o valgismo dos joelhos, com nefastas repercussões para esta articulação.


Em suma, menor estabilidade e menor capacidade de produção de força, ação muscular idêntica à execução original com costas apoiadas e maior tendência para o valgismo.


Portanto, treine, fortaleça o seu trem inferior, mas selecione de forma cuidadosa os seus exercícios.


Rodrigo Ruivo

Pág. 1 de 13

ESPECIALISTAS SPORT LIFE

nas Bancas

Instagram

Videos Sportlife

You need Flash player 6+ and JavaScript enabled to view this video.