SportLife

Corrida
Quarta, 04 Maio 2016 20:32

Qual é o teu tipo de passada?

Publicado em Corrida

PASSADACalcanhar, planta do pé ou antepé?

 

Este é um dos temais mais debatidos no mundo corrida nos últimos tempos.

 

Existem várias opiniões que relacionam a forma de pisar com o rendimento da corrida e o aparecimento de lesões. A maioria dos corredores que passam a linha da meta em primeiro lugar utiliza o apoio em toda a planta do pé ou com o antepé (são corredores com o apoio à frente), desconhecendo-se ainda porque é que isto acontece. Neste ambiente pouco clarificado surgiu uma corrente de uso de calçado minimalista ou barefoot running que reclama uma eventual mudança na forma de pisar e a sua influência positiva na corrida.

 

Apesar disso, desconhecem-se os efeitos a longo prazo que esta mudança irá produzir a longo prazo. Estudos mais recentes indicam que uma mudança na maneira de pisar não pressupõe uma melhoria nem no rendimento nem na poupança da corrida a longo prazo. Por outro lado, verificou-se que entre os corredores quando fazem baixas velocidades (até 15km/h) e que utilizam habitualmente um outro tipo de passada, os corredores de calcanhar consomem menos energia que os que usam a planta total e antepé. Mas fazem falta mais estudos para chegar a uma conclusão definitiva.

 


Calcanhar
Antepé
Toda a planta

Quarta, 04 Maio 2016 20:29

7 benefícios da corrida...

Publicado em Corrida

corrida1 - Não necessita de uma aprendizagem prévia, uma vez que correr é um gesto natural inerente ao ser humano.

2 -  As melhorias são mais rápidas do que em outras atividades desportivas, o que é muito motivante se fores capaz de vencer a inércia de nunca ter corrido.

3 – Mesmo que só consigas correr 10 minutos, já estás a ter benefícios, o que não acontece com outras atividades menos intensas.

4 – Os teus neurónios oxigenam enquanto corres, trata-se de um excelente momento para pensar e meditar. Verás como enfrentas os problemas de outra perspetiva.

5 – Cada dia que vais correr representa um desafio que te põe à prova.

6 – Correr faz com que te sintas livre!

7 – O “boost” de endorfinas e outros neurotransmissores cerebrais que nos produzem felicidade é brutal, e quando acabas de correr sentes-te no topo do mundo.

Terça, 03 Maio 2016 23:49

Sabes usar o teu pulsómetro para correr?

Publicado em Corrida

PulsometroEm função do tempo de exercício, o teu organismo será capaz de aguentar mais ou menos intensidade à sua capacidade máxima. Se não queres ficar sem forças antes da meta nem cruzá-la com a sensação de que não deste tudo, segue estas recomendações.
A primeira coisa a conhecer são as pulsações máximas, através de uma prova de esforço ou com um teste máximo, além das de repouso, que devem ser medidas quando ainda estás na cama antes de te levantares. Deves calcular as pulsações percentagem do teu máximo com a fórmula de Karvonen.

 

FC corrida = (FC máxima – FC repouso) X percentagem /100 + FC de repouso

 

Por exemplo, se as tuas máximas são 180 e a tua FC de repouso 60, para correr a maratona (percentagem de 80%-86%), terás que ir entre 146 e 162 por minuto.


(180 – 60) X 80/100 + 60 = 120 X 0.8 + 60 = 96 + 60 = 146
(180 – 60) X 85/100 + 60 = 120 X 0.85 + 60 = 102 + 60 = 162

 


Distância da competição        Percentagem da tua FC máxima


5km                                     95 a 98%
10km                                   90 a 95%
Meia maratona                    85 a 90%
Maratona                            80 a 85%

Segunda, 04 Abril 2016 22:50

Agachamento búlgaro para corredores

Publicado em Corrida

fitness run 8Agachamento búlgaro para corredores


Os squats unipodais aproximam-se muito mais do comportamento na corrida. Solicitam o trabalho dos estabilizadores tanto do core como do glúteo médio na anca.


O agachamento búlgaro, em que a perna de trás está elevada, é um excelente exercício que consegue juntar o trabalho de força, coordenação intermuscular, estabilidade e inclusivamente mobilidade. Mantém o tronco direito, flete os dois joelhos e tenta que a perna de apoio fique sempre voltada para o apoio do pé, evitando que o joelho se projete para a frente. É um movimento para baixo não para a frente.


O pé de apoio recebe um grande estímulo para melhorar a proprioceção e a estabilidade (se se realiza descalço é muito melhor) e os flexores da anca da perna de trás recebem um alongamento ao descer e por isso deves manter ativa a parede abdominal evitando que a coluna lombar arqueie em excesso.


O trabalho unilateral permite além disso umas adaptações mais homogéneas entre os hemicorpos, evitando desequilíbrios.

Pág. 2 de 23

nas Bancas

Instagram

Videos Sportlife

You need Flash player 6+ and JavaScript enabled to view this video.